3 de outubro de 2022

Onde está Zezé? Será que está vivo?” Essa é a pergunta que o compositor e pianista João Roberto Kelly não sabe responder. Mas  o autor da marchinha “Cabeleira do Zezé, (parceria com Roberto Faissal) que estourou na voz de Jorge Goulart e teve (e tem) centenas de gravações no Brasil e no mundo ao longo de mais de 50 anos, e que marcou o carnaval de 1964, fez noite de autógrafos nesta quarta-feira, 16,  no Bar Garota de Copacabana.
No  livro “Cabeleira do Zezé e outras histórias” (Editora Vitale), ele  aproveita a ocasião para lançar a inédita “Eu quero dinheiro”. “É o contrário da música do Tim Maia, (“Não quero dinheiro”)”, brinca ele já imaginando a turma cantando o refrão: “Ô,ô,ô, eu quero dinheiro, meu dinheiro acabou”.
A obra não é biográfica, mas de memórias, é uma continuação do curta “No Balanço do Kelly” (2010), dirigido e roteirizado pelo meu amigo e parceiro André Weller.
Vastamente ilustrado com fotos de vários períodos da vida de Kelly, o livro é composto de pequenas crônicas divididas por subtemas como: “Infância; Primeiros passos; Na televisão; Marchinhas; Engravatado (período em que foi presidente da Riotur); Personagens e Atualidade. A orelha tem assinatura dupla e de peso: de Ruy Castro e do pesquisador musical Rodrigo Faour.
Editora Vitale – Preço R$ 47,00

Redes Socias

Deixe um comentário