28 de novembro de 2022

Mais de 3 milhões de motoristas categoria C, D e E (ônibus, caminhão e vans) estão em situação irregular e podem perder o direito de dirigir. É que, desde maio de 2021, com a aprovação do novo Código Brasileiro de Trânsito, foi definido um prazo para os motoristas atualizarem o exame toxicológico, que venceu em 12 de novembro. Mas, com a pandemia, muitos até hoje não se regularizaram.

“O exame para detecção de drogas de abuso é uma obrigação individual do motorista que, caso não esteja em dia na hora de renovar a CNH, receberá a multa de R$1.467,35 e tem seu direito de dirigir suspenso por três meses”, explica o farmacêutico Fabio Alonso (foto), diretor executivo e CEO do Laboratório Contraprova, referência no setor de exames toxicológicos.

Redes Socias

Deixe um comentário