30 de novembro de 2022

Ney Matogrosso e Rodrigo Faour

A Festa de MPB na noite desta quarta-feira, 16,  no Dolores Club, anexo do Rio Scenarium, foi uma tripla comemoração para Rodrigo Faour: o lançamento do vol. 2 de seu livro “História da música popular brasileira sem preconceitos”, Ed. Record, seus 50 anos e os cinco de seu canal do YouTube, Rodrigo Faour Oficial, que chegou a 75 mil seguidores, e trata de música e comportamento. Os dois volumes consumiram sete anos de pesquisa árdua e é o primeiro livro “inclusivo” já feito sobre o assunto, sem discriminar nenhuma tribo – do punk rock ao forró eletrônico, do samba às cenas “regionais”, do Rio Grande do Sul, Maranhão, Pará, Bahia e Pernambuco.

 Faour já havia feito dois lançamentos em livrarias – em São Paulo e no Rio – mas faltava uma festa de confraternização com seus amigos músicos que o inspiraram a seguir esta carreira e se lançar num projeto tão ambicioso.  O projeto nasceu de um curso que ministrou sobre a história da nossa música na PUC-Rio, em 2015. Ele se deu conta de que não havia um livro com abordagem contemporânea sobre o assunto. Na festa/show, procurou reunir nomes midiáticos com outros que a perversidade do mercado da música por vezes coloca para escanteio – aliás, há um epílogo sobre as transformações na produção e divulgação da nossa música, no vol. 2.

O show resgatou o cantor-galã Marcelo (Costa Santos), que estourou com “Abre coração” no início dos anos 80, e “Tempo de estio”, que Caetano Veloso lhe deu em primeira mão. Ambas estavam no show, que sendo que esta última em dueto com Fernanda Abreu.

Ele também gravou “De fogo, luz e paixão” com Gal Costa, que foi homenageada na festa, com Jane Duboc cantando com ele essa música

Divas não faltaram na noite. Da romântica Joanna à eclética Jane Duboc. Da internacional Eliana Pittman à Rita Bennedito e seu eterno “Tecnomacumba”, projeto que está completando 20 anos. Confira nas fotos de Cristina Granato.

Redes Socias

Deixe um comentário