30 de novembro de 2022

 

Gilvan Nunes e Patricya Travassos

Morando nos Estados Unidos há alguns anos, o artista Gilvan Nunes inaugurou nesta quinta-feira, 14, a mostra “Hilomorfismos”, na Galeria Patrícia Costa. “O caminho sempre acaba convergindo”, definiu Gilvan Nunes ao falar sobre as pinturas a óleo, desenhos, cerâmicas e porcelanas que apresenta na individual, após um hiato de 5 anos sem expor no Brasil. As obras são fruto de um processo que aconteceu durante a pandemia, entre 2020 e 2022. Este período se revelou bastante fértil, tendo o artista produzido 30 pinturas em grandes e pequenos formatos, 28 desenhos e 50 cerâmicas, entre vasos e peças de parede. Segundo Gilvan, as cerâmicas ganharam força de 10 anos para cá, desde que se mudou para a Filadélfia, onde adquiriu um forno e pôde evoluir na técnica.

Gilvan Nunes, Fernando Cocchiaralle e Ana Luiza Rego

Patricia Costa e Sabina Bochner

Pedro Tebiryça, Roma Drummond e John Nicholson

Redes Socias

Deixe um comentário