28 de novembro de 2022

Letícia Monte e Ariani Teodoro

Foi aberta nesta segunda-feira, 31, em Santa Cruz,  na Zona Oeste do Rio de Janeiro, a exposição “De Úrsula a Ponciá
Vivêncio”.  O evento será realizado no Espaço SerCidadão, retrata os 200 anos de Independência do Brasil e de Escrevivência de Mulheres Negras através de pinturas da artista Malu Vibe. Nascida e criada na Rocinha, na Zona
Sul do Rio, Malu traz em seus trabalhos potência, cores vivas e profissionalismo. Sua paixão pela arte começou ainda bem nova e desenhar sempre foi uma de suas atividades favoritas. Para a exposição, ela preparou 10 telas, todas focadas nos 200 anos da independência do país e no trabalho de escritoras negras, como Maria Firmino
dos Reis, que publicou em 1859 o romance “Úrsula”, e Conceição Evaristo, que lançou em 2003 a obra “Ponciá Vivêncio”. Uma das telas, inclusive, é o resultado de um mapeamento das principais escritoras negras nascidas no Brasil nesse período. A pesquisa foi realizada pela produtora cultural e Mestra em Biblioteconomia, Cultura e
Sociedade Bianca Ferraz.
A exposição – cuja equipe responsável pela realização e produção é majoritariamente formada por mulheres negras – conta com entrada gratuita e curadoria de Ariani Teodoro: mediadora de Leitura e fundadora do empodera.sorocaba, um coletivo de  mulheres que através do conhecimento propõe grupo de leitura, encontro de
empreendedoras e rodas de conversas em prol da conexão feminina. Educadora voluntária para refugiados e amante de livros, Ariani tem 34 anos, é internacionalista, professora e pós graduada em gestão de projetos e inovação.
A abertura do evento contou  com uma programação especial: uma mesa redonda sobre Maria Firmino dos Reis – Construção e Interpretação da História de Autoria Negra com as convidadas Luciana Diogo   e Carol Dall Farra, poeta, rapper, slammer e graduanda em Geografia pela UFRJ.  A mediação ficou por conta de Keila Gomes. Fotos Marco Rodrigues

Redes Socias

Deixe um comentário